A vida é melhor de óculos

8% OFF PAGAMENTO POR PIX

Frete Grátis nas compras acima de R$149

Olá,Bem vindo!
Conta e pedidos
Cliente novo?Cadastre-se

Ir para Carrinho

Adicionado com sucesso!

As lágrimas já foram cantadas em verso e prosa e muito se fala delas em romances e histórias. No entanto, esse líquido composto por água, sais minerais, gordura e proteínas e produzido pelas glândulas lacrimais tem uma função muito mais importante do que estravasar nosso estado de espírito: elas limpam e lubrificam os olhos, um trabalho essencial para o bom funcionamento da visão. Para chegar a eles, no entanto, as lágrimas precisam passar pelo canal lacrimal, que nada mais é do que um duto que conduz as lágrimas até os olhos. O problema é quando este duto sofre algum tipo de obstrução, que pode ser causada por algum problema congênito ou inflamatório – é a chamada dacrioestenose. Este tipo de problema não é raro entre recém-nascidos: estima-se que cerca de um terço dos bebês nascem com um ou os dois lados do canal lacrimal obstruído por um tipo de membrana, que costuma de desfazer até o primeiro aniversário da criança. Os principais sintomas são secreção do muco que se forma por causa da inflamação causada pelas lágrimas que não conseguem passar pelo canal lacrimal e um lacrimejar constante.

A orientação oftamológica costuma ser de limpeza constante com água filtrada e massagens suaves no canto interno dos olhos, mas o uso de colírio antibiótico só é indicado quando a infecção se agrava – e assim mesmo por poucos dias. Quando a obstrução é leve o bebê apresenta apenas uma aparência de olhos molhados constantemente por causa do acúmulo de lágrimas. Se o problema persistir após um ano de idade a indicação costuma ser de intervenção cirúrgica para a retirada da membrana do canal lacrimal, mas em cerca de 80% dos casos ela desaparece por volta do sexto mês de vida.

Como outros problemas de visão podem ter sintomas bem parecidos (como conjuntivite e até glaucoma), é preciso que o neném seja levado ao especialista para a identificação correta do problema e ser dada a solução adequada. Além disso, o correto é que as massagens também sejam feitas ou orientadas pelo especialista, assim como a prescrição do colírio, se necessário.