A vida é melhor de óculos

8% OFF PAGAMENTO POR PIX

Frete Grátis nas compras acima de R$149

Olá,Bem vindo!
Conta e pedidos
Cliente novo?Cadastre-se

Ir para Carrinho

Adicionado com sucesso!

Uma das consequências mais comuns da Diabetes tipo 1, que aparece aproximadamente 20 anos após sua diagnose, é a doença ocular conhecida como Retinopatia Diabética. A parte afetada do olho é a retina, que sofre por causa dos altos níveis de glicose. Entre os diabéticos, é a doença ocular mais comum. Entre os pacientes do tipo 2, ela pode aparecer já no momento da primeira diagnose. Os sintomas da retinopatia diabética são visão embaçada, dificuldade de leitura, sensação de pressão nos olhos, perda da visão periférica, visão dupla e cegueira noturna.

É importante consultar o oftalmologista o mais rápido possível após o aparecimento de um ou mais destes sintomas. Desta maneira, você pode evitar tratamentos mais drásticos, além de melhorar a qualidade de vida com óculos ou lentes de contato. Entre os tratamentos da retinopatia diabética estão a cirurgia de fotocoagulação a laser, para tratar a retinopatia proliferativa, o edema reacular e o glaucoma neovascular. Os vasos sanguíneos afetados são removidos, detendo assim, a progressão da doença.

O sucesso deste tratamento é comprovado por alguns estudos comparativos. No caso da retinopatia diabética proliferativa grave, quando o sangue atinge o vítreo, a opção de tratamento chama-se vitrectomia. Nela, o vítreo é removido e substituído por uma solução transparente. Infelizmente, a cirurgia LASIK nem sempre pode ser utilizada em pacientes diabéticos, pois a irregularidade nos níveis de glicose dificulta a precisão do processo. Estudos comprovam que pacientes operados por laser LASIK muitas vezes apresentaram complicações pós-operatórias. Se você tem diabetes do tipo 1 ou do tipo 2, consulte seu oftalmologista e converse com ele sobre os sintomas no seu caso específico. É a melhor maneira de obter uma informação segura sobre os possíveis tratamentos, pois cada caso é um caso, e tem que ser analisado individualmente. Um diagnóstico precoce pode ser a solução para impedir a piora na visão.