Kit Prove em Casa

Prove 4 óculos por 4 dias

Fechar
    Blog
    Olho Vivo

    O que é e como evitar a conjuntivite?

    Não deixe de saber tudo sobre a conjuntivite e as principais formas de evitar contraí-la!

    Conjuntivite: o que é e como evitar

    A conjuntivite é uma das doenças oculares mais comuns que atinge desde crianças até idosos. Ainda que comum e bastante corriqueira, principalmente em um país tropical como o Brasil, alguns cuidados podem evitá-la.

    Por se tratar de uma inflamação na conjuntiva — membrana transparente que cobre a esclera, isto é, toda a região branca do olho e a superfície interna das pálpebras —, a sensação de ardor, a coceira e a vermelhidão se tornam comuns, sendo bastante incômodas.

    Desse modo, a eÓtica responde a todas as suas dúvidas neste artigo sobre a conjuntivite. Para não perder nenhuma informação, continue a leitura.

    Conheça os três tipos de conjuntivite

    A conjuntivite, por mais que pareça uma só, tem três origens diferentes que, consequentemente, terão tratamentos diferentes. Desse modo, elas são listada a seguir:

    Infecciosa

    A conjuntivite infecciosa é causada por vírus ou bactérias, podendo ser contagiosa. Isso significa que, por meio do contato direto entre pessoas infectadas ou indireto por objetos contaminados, é possível ser contraída a enfermidade.

    Alérgica

    Normalmente, esse tipo de conjuntivite ocorre nos dois olhos, sendo mais provável em pessoas predispostas a alergias, como rinite ou bronquite. Diferentemente da infecciosa, ela não é contagiosa, podendo oscilar entre menos agressiva e mais agressiva.

    Dessa forma, é possível que haja períodos de melhoras e reincidências. Por isso é importante descobrir o mais rápido possível e combater o agente causador na primeira incidência.

    Tóxica

    A conjuntivite tóxica é causada por agentes tóxicos, como colírio, fumaça, poluição, produto de limpeza, maquiagem, tinta de cabelo, sabonete, spray, entre outros. Normalmente, os olhos ficam avermelhados, apresentando secreção, incômodo e coceira, além da sensação de areia e inchaço das pálpebras. Outro incômodo recorrente nesse tipo é com a claridade (conhecida como fotofobia).

    O tratamento de cada uma delas depende do tipo e da causa. Na maioria das vezes, colírios e pomadas podem ser suficientes para combater a infecção e melhorar os sintomas de desconforto. No entanto, é necessário o acompanhamento de um especialista que indique o tratamento correto.

    Recomendações

    Algumas dicas gerais são essenciais. As principais para que não se contraia a conjuntivite são:

    Sempre lave bem as mãos antes de tocar nos olhos

    Essa dica é a mais simples, porém é uma das mais importantes. Infelizmente, andar pela rua, utilizar transporte público, pegar em dinheiro etc. são situações que podem contribuir diretamente para a conjuntivite, pelos focos de bactérias.

    Se possível, sempre que tocar em algo em que muitas pessoas tenham tocado também limpe bem as mãos e evite passá-las logo em seguida nos olhos.

    Uma boa dica é andar com álcool em gel tamanho na bolsa ou mochila e, caso você não goste do cheiro forte, não se preocupe: hoje existem diferentes opções com odores de frutas, por exemplo.

    Não durma com maquiagem

    Algumas pessoas que utilizam maquiagem têm o costume, talvez por preguiça, de não retirar por completo a maquiagem. No entanto, por conterem muitos componentes químicos e permanecerem por horas na região, a probabilidade de as partículas dos cosméticos entrarem em contato direto com os olhos pode causar irritação.

    Esse tipo de prática pode contribuir para a conjuntivite tóxica ou até mesmo alérgica. Portanto, selecione bem o tipo de maquiagem a utilizar e não esqueça de retirá-la por completo.

    Dica: algumas vezes, a retirada na linha d'água pode ser mais difícil. Procure o auxílio de um cotonete para retirar o excesso, mas tenha o cuidado de não colocá-lo em contato direto com os olhos.

    Não compartilhe maquiagem ou colírio

    Outro tópico relacionado a maquiagem? Sim! Infelizmente, os cosméticos são agentes causadores de conjuntivite se não são bem retirados e até mesmo quando emprestados de/para pessoas infectadas. Lápis de olho, delineador, sombra, máscara de cílios, cílios postiços etc. não devem ser compartilhados porque estão em contato direto com os olhos.

    Pessoas infectadas provavelmente transmitirão pelo contato com o produto. Ao usá-lo logo após, é possível contrair a doença. Além disso, outra coisa que não deve ser compartilhada é o colírio, seja ele um colírio específico para determinado caso, seja aquele colírio para lavar os olhos.

    Assim como a maquiagem, o colírio mal aplicado pode entrar em contato com a região infectada e comprometer todo o produto. Portanto, não o compartilhe.

    Não aplique nenhum tipo de medicamento sem orientação médica

    Um grande erro que as pessoas ainda cometem é utilizar medicamentos sem orientação médica. Mesmo que uma pequena coceira, por exemplo, possa parecer inofensiva, não podemos negar que, quando tratada erradamente, pode virar algo muito pior.

    Por isso, ao sentir qualquer tipo de desconforto nos olhos, não hesite em procurar um especialista para que possa diagnosticar a doença e passar o remédio ideal para o seu caso. Assim, além de evitar problemas, o desconforto será resolvido de forma muito mais rápida.

    Viu como é importante saber sobre a conjuntivite? Caso você a contraia, primeiramente deve ir a um oftalmologista para que ele possa diagnosticar a origem (infecciosa, bacteriana ou tóxica) e, então, fazer o tratamento específico. No entanto, alguns cuidados podem evitá-la. Portanto, lembre-se de anotar as nossas dicas. A partir daí é só se cuidar e manter os olhos saudáveis para uma visão perfeita!

    Agora, que você já sabe tudo sobre a conjuntivite e como evitar contraí-la, não deixe de ler mais, aprendendo sobre quando ir ao oftalmologista!

    Atenção: o nosso objetivo é vender lentes de contato para quem fez adaptação com o médico oftalmologista e recebeu orientação adequada quanto ao uso e cuidados. Consulte regularmente o seu médico oftalmologista para avaliar a saúde de seus olhos e saber se pode usar ou continuar usando lentes de contato.

    Atenção: nosso objetivo é vender lentes de contato para quem fez adaptação com Médico Oftalmologista e recebeu orientação adequada, quanto ao uso e cuidados. Consulte regularmente seu médico oftalmologista para avaliar a saúde de seus olhos e saber se pode usar ou continuar usando lentes de contato.